sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Andalo - Itália - Parte 3

No dia seguinte à farra gastronômica da Trattoria Al Faggio que já contei aqui, acordamos cedo e nos dirigimos até a estação de Paganella ski.

 
Apesar de eu não ter a intenção de esquiar, o marido queria que eu apreciasse a vista mais alta da região (2125m).
 
Foi tudo muito interessante: a quantidade de neve, as pessoas, inclusive ver as crianças pequenas esquiando. Ainda por cima a vista lá de cima é tudo de bom!
 
 
 
Primeiro subimos com o teleférico até o refugio Albi de Mez (1782m) e de lá pegamos outro teleférico até o pico mais alto dessa estação onde está o Refugio La roda (2125m). 
 
Lá de cima se tem uma linda vista dos Alpes e, além disso, o Refugio La Roda conta com um restaurante, lanchonete e uma varanda charmosérrima onde se serve desde prosecco geladinho até sanduiches e chocolate quente. 

Eles também alugam cadeiras (tipo de praia) a 4 euros para você sentar apreciar a vista enquanto toma um sol (sim muito sol!).

As pessoas atrás de mim pegando um bronze nas cadeiras alugadas

 
 
O local é também o ponto de encontro dos esquiadores.
 
Depois de apreciar a paisagem, tirar diversas fotos e morrer de rir dos tombos, resolvemos descer.
 
Voltamos até o refugio Albi de Mez de teleférico e de lá seguimos a pé até o refúgio Malga Zambana (1772m).
 
Esse é um refúgio exclusivo dos esquiadores e eu conto por que:
 
Primeiro por que não se consegue chegar lá de teleférico.
Você deverá pegar o teleférico até o refúgio mais próximo, neste caso o refúgio Albi de Mez. e depois seguir a pé pelo cantinho da pista até lá.
 
O detalhe é que, esta pista tem um baita declive, ou seja, além do esforço físico para andar em uma ladeira cheia de neve fofa, você vive fortes emoções, pois, a todo momento os esquiadores passam ao seu lado a 1000Km por hora.

Todo esse esforço terá duas grandes recompensas: a vista que você irá usufruir quando chegar lá e a fome que você terá.
 
Depois de conseguimos chegar inteiros fomos DIRETO começar os trabalhos.
 
A primeira sensação que tive foi de sede e, para matar a sede nada melhor que cerveja (cerveja?).
 
 
 
O bar e restaurante Malga Zambana só servia cerveja da marca Forst. Como sei que as cervejas lá seriam boas, encarei. Dessa vez o marido se animou e pediu uma cerveja do mesmo tamanho da minha (estou criando um monstro).
 
Na seqüência, o marido esfomeado quis comerrrrrr.
 
Como estava sem paciência de escolher, pedi que ele fizesse o pedido. Eu só queria curtir a paisagem.

Ele foi e voltou com os seguintes pratos:
 
Spezzatino di vitello con polenta e funghi porcini para mim e Stinco di maiale com polenta e craute para ele.
 
 
Eu explico:
 
Spezzatino di vitello con polenta e funghi porcini
+ Spezzatino di vitello con polenta e funghi porcini (13,00) – Esse prato é típico dessa região. São picadinhos de vitela (bezerro) acompanhados de polenta e, nesse caso, uma porção de fungos porcini que eu amo. Não gosto de polenta como já disse em outros posts, então só devorei a carne e os fungos que estavam muito bons.
Update 2014: Aprendi a gostar, se fosse hoje teria devorado o prato inteiro kkk
 
 
Stinco di maiale con polenta e craute
 
+ Stinco di maiale con polenta e craute (13,00) - Jarrete (joelho) de porco com polenta e chucrute (repolho fermentado). Esse prato foi o sucesso do dia. Além da carne estar muito macia nos rendeu fotos divertidíssimas. O chucrute também estava muito bom.
 


 
 
Avaliação geral: Se você, como a gente, precisa almoçar durante o dia acho que o Refúgio Malga Zambana é uma boa opção.

Apesar de ser um restaurante turístico (preço salgado e cheio) a comida estava boa, clima agradável e a vista deslumbrante!
Lembre-se que não adianta descer até a cidade de Andalo e procurar restaurante para almoçar. Durante o dia todos estão fechados porque os turistas estão nas estações de ski.
Espero que tenham gostado!
Até o próximo post !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com
Pin It button on image hover