quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Selos de qualidade e origem dos produtos italianos

Depois de algumas semanas sem postar, devido às provas de final de ano, resolvi fazer esse post explicando a importância dos selos de qualidade presentes em muitos produtos Italianos e Europeus.

Muitas pessoas sequer sabem que eles existem, mas comprar um produto com um destes selos é a garantia que você está levando pela qualidade do produto que pagou.

Os selos de certificação descritos desse post foram criados pela União Europeia e o Ministério das Políticas Agrícolas e Alimentares da Itália como mecanismo proteção das indicações geográficas e denominações de origem dos produtos.

Alguns selos também são encontrados em outros países da União Europeia como França, Portugal e Espanha, por exemplo.

Os selos são:

D.O.P. - Denominazione di Origine ProtettaDenominação de Origem Protegida

É uma certificação criada (junto com I.G.P.) pela união Europeia para certificar diversos produtos.

A certificação D.O.P. oferece garantia sobre diversos níveis do processo produtivo: origem, procedência da matéria prima, localização e tradicionalismo do processo produtivo.

Para receber esta certificação, todo processo, desde a produção da matéria prima, sua transformação até o produto final devem ser efetuadas na região no qual o produto leva o nome.

Exemplos de produtos D.O.P.:

- Prosecco;

- Queijo Parmigiano Reggiano;

- Vinagre Balsâmico de Modena;

- Azeite Chianti Clássico;

I.G.P. - Indicazione Geografica ProtettaIndicação Geográfica Protegida

Também  criada pela União Europeia esta certificação atribuída aos produtos gastronômicos e agrícolas tradicionalmente produzidos em uma determinada região.

Para receber esta certificação, ao menos uma fase do processo produtivo, devem ser efetuadas na região no qual o produto leva o nome.

É uma uma espécie de D.O.P.  menos rigorosa.

Exemplos de produtos I.G.P.:

- Castanha do Monte Amiata I.G.P.;

- Azeite de oliva extra virgem Toscano I.G.P.;

- Castanhas do Mugello I.G.P.

D.O.C - Denominazione di Origine Controllata  - Denominação de Origem Controlada

D.O.C. é uma certificação utilizada na enologia para designar um vinho de qualidade cujas características são associadas ao ambiente natural e aos fatores humanos e atendam regulamentos específicos de produção aprovado em decreto ministerial.

Ter um selo D.O.C. significa que o vinho foi produzido dentro de uma região específica e delimitada. Visa garantir a procedência e a qualidade do vinho.

Antes de serem comercializados, os vinhos são submetidos a alguns testes preliminares, análises físico-químicas e teste organoléptico que certificam a conformidade com os requisitos da certificação. O não cumprimento de qualquer requisito impede a comercialização do produto.

A cada 3 anos o vinho passa por uma reavaliação podendo ou não continuar com a certificação.

Exemplos de vinhos D.O.C:

- Lambrusco di Sorbarao;

- Cinque Terre Sciachetrà;

- Chianti;

- Prosecco di Conegliano-Valdobbiadene (amo com todas minhas forças);

D.O.C.G - Denominazione di Origine Controllata e Garantita – Denominação de Origem Controlada e Garantida

D.O.C.G. o mais alto certificado exclusivo para vinhos.

É  uma certificação reservada aos vinhos que já possuam a certificação D.O.C. ao menos 5 anos, são considerados de valor particular no que diz respeito à qualidade em comparação com vinhos semelhantes e que adquiriram fama e comercialização nacional e internacional;

Além dos testes realizados para certificação D.O.C. os mesmos devem ser repetidos, fase a fase, também na fase de engarrafamento.

Exemplos de vinhos D.O.C.G.:

- Barolo di Cuneo;

- Brunello di Montalcino;

- Chianti Clássico;

IGT - Indicazione Geografica Tipica - Indicação Geográfica típica

É um cerificado usado para certificar os vinhos de qualidade de mesa (“vini da tavola”) geralmente produzidos em grandes áreas.

Esta categoria inclui os vinhos de mesa produzidos em regiões específicas ou áreas geográficas (autorizada por lei), às vezes de acordo com algumas regras de produção. 

Os vinhos podem indicar no rótulo, além da cor, a indicação das uvas utilizadas e o ano da colheita. O vinho com certificação I.G.T. não pode utilizar o nome de regiões onde se produz vinhos D.O.C ou D.O.C.G.

Geralmente entram nesta categoria os vinhos com qualidade inferior aos vinhos D.O.C. pois os requisitos para certificação I.G.T. são menores.

Exemplos de vinhos I.G.T.:

- Colli della Toscana Centrale,

-  Val di Magra (Massa Carrara)

Existem outras diversas certificações, aliás dizem que a Itália é o país das certificações.

Procurei me ater somente às principais, mas se esqueci de alguma certificação importante você pode me ajudar. Comente.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com
Pin It button on image hover