quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Roteiro e Hospedagem para 10 dias no Marrocos

Escrito por Dani Bispo

A primeira providência a tomar quando você decidir viajar pelo Marrocos é decidir o que quer conhecer.




O país tem paisagens totalmente diferentes e dependendo de quantos dias você dispõe vai ter que decidir se quer conhecer somente as principais cidades, um roteiro pela costa atlântica, deserto ou tudo junto e misturado.



O ideal seriam um total de 20/25 dias, dessa forma daria para sair do Norte por Fez, descer pelo deserto até Marrakesh como fizemos e depois voltar pela costa Atlântica até Tanger e quem sabe até terminar na Espanha.

 Infelizmente só dispúnhamos de 10 dias e nossa maior vontade era conhecer o deserto. Como ir ao Marrocos e não conhecer o deserto do Saara?

Depois de muitas pesquisas decidimos fazer tudo por conta própria.

Existem várias empresas que fazem  passeios pelo deserto saindo de cidades grandes como Fez e Marrakesh, passeios de 1 ou 2 noites. Pela distância achamos cansativo demais.

Os passeios mais longos, privativos e confortáveis custavam muito! De 400 a 700 euros. Colocamos na ponta do lápis, pesquisamos muito e decidimos fazer de carro, por conta própria.

Claro que no início pela falta de informação deu um pouco de medo e insegurança mas digo para vocês que não existe coisa mais fácil e segura.

Siga-nos no instagram e acompanhe nossas viagens @comerecocar

Como disse no post anterior, as estradas do Marrocos, apesar de serem vias de mão dupla possuem um asfalto muito bom e são bem sinalizadas. Fora que a internet pega em todos os pontos e você nem precisa alugar um GPS. O google maps te leva a todos os lugares.

Sem essa que precisa de um motorista experiente. Alugue um carro e desbrave o Marrocos parando quando quiser e sem pressa. Será inesquecível para você como foi para nós.

Além de tentar resumir como foi nossos 12 dias nesse país incrível vou colocar os vídeos que fiz no Snapchat para ilustrar nossa experiência.

Roteiro de 10 dias (inteiros) pelo Marrocos

Dia 1 – Dia da Chegada;
  • Voamos do aeroporto de Pisa até Fez.
Como íamos chegar à noite pedimos ao Riad Dar Borj onde nos hospedamos para que nos enviasse um táxi. Como não sabíamos o que nos esperaria por lá preferimos alguém conhecido para nos levar direto ao Riad que ficava dentro da Medina.



Esse Riad foi um grande acerto para nós. Além de super bem localizado as instalações do Riad são novíssimas!


O prédio acabou de ser todo reformado pela família do Said, um rapaz muito simpático que administra o negócio de família.

Ao chegarmos ele foi nos buscar no táxi e nos ajudou com nossas malas, providenciou um jantar e foi muito atencioso.


Dia 2 – Nosso segundo dia no Marrocos foi todo dedicado a explorar Fez.
  • Fizemos um giro na Medina com um Guia.


Lemos que seria melhor transitar na Medina com um guia local. Dessa forma não nos perderíamos e não seriamos importunados por pessoas nos oferecendo serviços.

E realmente foi muito bom. Pagamos 250 Dirhans pelo serviço, contratado diretamente no Riad.
  • Almoçamos no Café Clock, um restaurante gracinha dentro da Medina e pertinho do nosso Riad. É bem turístico mas a comida é boa.
  • À tarde, com um pouco de receio atravessamos a Porta Bab Boujloud e nos aventuramos a sair da Medina. Conhecemos o Jardin Jnan Sbil, um parque lindo nas imediações da cidade;

Depois de muito custo pegamos um taxi para o Palais Royal de Fes e Bairro Judaico.
  • Terminamos o dia de turistada no Carrefour do Borj Fez Mall.
  • O jantar foi em um restaurante simplerrimo ao lado da Blue Gate.
Os taxis em Fez fazem de lotada, ou seja, carregam varias pessoas que estão indo na mesma direção ao mesmo tempo. Custamos a entender isso e simplesmente não acenávamos quando tinha alguém dentro do taxi.





Dia 3 – Mais um dia inteiro em Fez. A intenção era descansar bastante para pegar estrada no dia seguinte. Se você tem muita energia pode pular esse dia e pegar logo a estrada.
 



  • Começamos o dia nas tumbas Merenid e no Borj Nord para ver a cidade do alto.


  • Almoçamos no Ruin Garden, um jardim lindo no meio da Medina.

  • Terminamos o dia novamente no Borj Nord para ver o pôr do Sol e as luzes da Medina acender;
  • À noite jantamos no Café Laglali;


Dia 4 – Esse foi um dia inteiro de estrada;
  • Saímos cedo com as malas e pegamos o carro na Europcar no Centro de Fez;
  • Partimos em direção a Merzouga;

  • Paramos para almoçar em Midelt no Restaurante Le Pin;
  • Chegamos a Merzouga no início da noite;
  • Fizemos nosso Check-in na Pousada Chez Youssef  - Recomendamos MUITO essa pousada!

São apenas 4 quartos cuidados com muito capricho pelo SUPER simpático dono Youssef.




Além disso ele organiza passeios para noite no deserto dando desconto nas diárias da pousada.




A comida também é ótima e você pode jantar por lá; Veja a Pousada nos vídeos abaixo:


Dia 5 – Dia do Deserto;
  • Pela manhã fomos explorar o Souk de Rissani. Ao chegar fomos abordados por uma pessoa se oferecendo para ser guia por 20 dirhans. Topamos pois nos sentiríamos muito mais seguros em transitar com ele por ali, mas na verdade só nos livramos de outros candidatos a guia.
O mercado é maravilhoso (veja no video). Totalmente diferente dos Souks das grandes cidades. Vale a pena.


  • Por indicação do Youssef almoçamos no Café Nora e comemos Pizza Berbere;


  • No fim da tarde embarcamos para a maior aventura de nossas vidas.

De camelo fomos passar à noite em um acampamento no Deserto do Saara; 





Dia 6 – Outro dia de estrada porém com algumas visitas no meio do caminho;
  • Voltamos do acampamento do deserto, tomamos nosso café e pegamos estrada;
  • Depois de algumas horas visitamos a Garganta de Todra; 
  • Mais estrada e 30km de curvas chegamos até a Garganta de Dadès;


Acabamos o dia em um hotel em Ourzzazate que não vale a pena indicar; Nosso único erro da viagem: nunca reservem hotéis que custem menos de 30 euros; entre 40 e 50 euros é o ideal. A diferença entre eles é significativa.
  • Jantamos em um restaurante no Massinissa no Centro da cidade com ótima comida .


Dia 7 – Mais um dia de estrada. Dessa vez muito longo e cansativo. Eu sinceramente  acho que ficaria mais um dia em Ourzazate descansando antes de pegar estrada.
  • Acordamos e fomos direto conhecer o Ksar Ait Ben Haddou. Uma das coisas mais lindas do Marrocos! Imperdível;
  • Pegamos estrada, atravessamos as milhares de curvas do Alto Atlas (felizmente sem neve) e chegamos mortos a Marrakesh;
  • Seguimos de carro até bem pertinho do Riad Nesma (uma das vantagens desse Riad) deixamos as malas e entregamos o carro na locadora em Gueliz o bairro moderno de Marrakesh, jantamos e voltamos ao Riad;

Dia 8 – Dia de explorar a medina;
  • Visitamos a Mesquita Koutoubia e depois nos embrenhamos na Medina e desbravamos alguns Souks;
  • Bem ao lado da Medersa está o Dar Bellarj uma linda galeria de arte que foi a grande surpresa. Além de mais vazio que as principais atrações, o prédio está muito bem conservado e naquele momento exibia uma exposição de fotografias da Jemaa el-Fna bacanérrima.

  • Almoçamos no Terrasse des Epices, um lugar lindo com comida marroquina e internacional. Como os preços são mais altos, só é frequentado por turistas.


  • Depois do almoço demos mais uma volta pela medina e fomos descansar no Riad;
  • No fim da tarde partimos para o terraço do Café Glacier de onde se tem a melhor vista do entardecer Praça Jemaa el-Fna. Basta comprar uma bebida (a coca-cola mais cara da minha vida), pegar um lugar na mesinha na varanda e assistir o espetáculo do por do sol, das luzes se acendendo e a praça se transformando;



Dia 9 – Dia de turistada intensa;
  • Pegamos um taxi e fomos explorar a parte nova da cidade. Rumamos para Gueliz;

  • Voltamos caminhando pela Avenida Mohammed V a pé e visitamos o Cyber Park, um parque fofo para quem quer curtir a natureza e ficar conectado;
  • Terminamos o dia com um Jantar oferecido pelo sensacional Café Árabe que também servia vinho;

Dia 10 – Dia de aprender mais sobre a culinária marroquina;

  • Começamos o dia com um curso de culinária Marroquina fornecido pelo hotel La Maison Árabe, uma das melhores experiências da viagem mas que nos consumiu uma manhã e uma parte da tarde;



Dia 11 – Se você tem pique para mais viagens use esse dia para dar um pulo em  Essaouira.

Nós estávamos mortos e preferimos usar essa dia para relax e compras;

  • Depois rumamos para Le bains de Marrakech onde fizemos um hammam (sauna + esfoliação) e eu ainda optei por uma mascara de ghassou que é uma argila vulcânica com propriedades medicinais;
  • Almoçamos no Oscar Progress, um restaurante local, sensacional;
  • Tarde de compras no Souk;
  • Jantar no Oscar Progress;


Dia 12 – Volta para Milão;

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com
Pin It button on image hover